dominio https://www.naturgy.com.br:443/servlet/

Menus Menu Navegacion

Conheça-nos

hilo navegacion-->NO

As chaves da eficiência

A eficiência energética pode ser medida com bastante facilidade, calculando a diferença entre a energia que entra em qualquer máquina e a que sai de forma útil para nós. A seguir, explicamos algumas ideias importantes sobre eficiência energética que você mesmo pode colocar em prática:

Integrar-se habilmente ao ambiente

CONOCE_BR_FRI_chaves da eficiencia 1

É possível permanecer bem fresco dentro de uma estufa de vidro exposta ao sol ardente do verão: não temos mais que utilizar um sistema de ar acondicionado potente e gastar vários milhões de BTU para conseguir isto. Mas há outros sistemas de conforto que não estão baseados na força bruta, mas na colaboração inteligente com a natureza. Neste caso, mudar as cristaleiras por paredes de tijolo com furos pequenos, plantar vegetação que proteja a casa do sol e uma boa chaminé ou pátio de ventilação nos permitirão ficar bem frescos dentro do edifício sem gastar o ar acondicionado.

Outros sistemas são capazes de aproveitar as características do ambiente de forma surpreendente. Mesmo em uma noite fria de inverno, uma bomba de calor pode absorver o calor latente que o ar externo contém e transportá-lo para dentro da casa, onde servirá para aumentar a temperatura da calefação.

 

Evitar a dissipação ou escapamentos de calor ou frio

CONOCE_BR_FRI_chaves da eficiencia 2

A tendência geral de nosso universo é o nivelamento, por isso os alimentos se descongelam enquanto os tiramos do freezer. Mas se colocarmos barreiras nesta dissipação da energia, colocando o peixe congelado em uma bolsa térmica, aguentará gelado muito mais tempo. Pelo contrário, se abrirmos as janelas de uma casa onde estiver colocado um radiador, a única coisa que conseguiremos é jogar literalmente o valioso calor para a rua. A “embalagem” ou canalização correta da energia útil é uma das principais chaves da eficiência energética.

 

 

Colocar sensores: dar “olhos e ouvidos” aos aparelhos que consomem energia

CONOCE_BR_FRI_chaves da eficiencia 3

Uma velha caldeira de aquecimento é um bom exemplo de um sistema cego. A falta de um termostato barato faz com que desperdice quantidades enormes de energia cara. De outro lado, um simples detector de presença em um corredor o torna um corredor com vista e lhe permite acender a luz somente quanto houver alguém caminhando pelo ambiente. Múltiplos tipos de sensores capazes de detectar mudanças de temperatura, peso, presença de pessoas, chuva, umidade, intensidade luminosa, etc., proliferam cada vez mais e tornam os aparelhos que os utilizam mais eficientes.

 

Praticar a “reciclagem” da energia.

CONOCE_BR_FRI_chaves da eficiencia 4

Um exemplo muito simples de como se pode reciclar a energia é a cogeração. Queimamos gás em uma turbina conectada a um gerador e obtemos energia elétrica, bem como grande quantidade de calor. O truque está em aproveitar este calor para a água quente ou a calefação, por exemplo, ao invés de enviá-lo à atmosfera ou para a água. Os sistemas de cogeração se associam a um centro que aproveita esta energia “reciclada”.

Transformar a energia com menos perdas de conversão

CONOCE_BR_FRI_chaves da eficiencia 5

O melhor exemplo de um processo muito ineficiente porque tem muitas perdas de conversão é esquentar água em um fogão elétrico ... se a eletricidade procede de uma central de carvão ou de gás. Ali o combustível é queimado, colocando, assim, em funcionamento uma turbina de vapor acoplada a um gerador de eletricidade. Esta eletricidade é injetada na rede de transporte e distribuição elétrica. Por fim, quando chega à casa, a eletricidade será transformada de novo em energia térmica na cozinha através da placa de cerâmica de vidro e do queimador. É um processo de muitos passos e em cada um deles se perde energia útil.

É melhor queimar diretamente o gás nos fogões, pois neste caso o combustível é queimado diretamente sob o queimador e não em uma central térmica.
 

Fugir do “tudo ou nada”: possibilidades de regulação fina

CONOCE_BR_FRI_chaves da eficiencia 6

Suponhamos um fogão que somente permite duas posições: ligado ou com fogo ultra potente. Queimaríamos muitos queimadores antes que fossem devolvidos ao fabricante. A possibilidade de regular à vontade a energia útil que recebemos das máquinas é uma das essências da eficiência energética. Um bom exemplo é a possibilidade que as lâmpadas LED têm de regular a intensidade luminosa à vontade, conforme as necessidades de iluminação que tenhamos a cada momento.


 

Dar mais um passo: colocar um cérebro nos aparelhos que consomem energia

CONOCE_BR_FRI_chaves da eficiencia 7

Dotar um aparelho por onde circula energia de um pequeno computador ou cérebro eletrônico aumenta muito suas possibilidades de ser mais eficiente. As lavadoras modernas, por exemplo, reúnem a informação que lhes fornecem seus sensores de temperatura, peso da roupa, resistência da água, etc., para colocar em funcionamento o programa mais econômico possível, levando em conta todas essas circunstâncias. Diz-se que há mais microprocessadores e potência de contagem em um eletrodoméstico atual que em uma nave espacial dos anos 1970! E, em relação estreita com este ponto, é importante aumentar as possibilidades de regulação afinada da instalação.
 

Utilizar novos materiais com novas propriedades

CONOCE_BR_FRI_chaves da eficiencia 8

Os painéis de vácuo têm um poder isolante tão forte que fornecem, com pouca espessura, proteção contra vazamentos de energia equivalente a de uma parede grossa de cortiça. O segredo está em ter conseguido fabricar uma estrutura dentro da qual se fez o vácuo, o melhor isolante possível que não se quebra graças a sua rígida estrutura. Outro exemplo de material “mágico” é o revestimento especial dos cristais de baixa emissividade que deixa a luz passar, mas não o calor.

Praticar o autoconsumo, reduzir o trajeto de transporte da energia

CONOCE_BR_FRI_chaves da eficiencia 9

A energia que utilizamos pode vir dos confins do mundo, se o carvão que se usou na usina térmica para produzir a eletricidade era australiano. Todos os dias, milhares de toneladas de petróleo viajam muitas milhas de seus centros de extração na Arábia Saudita, Venezuela ou Nigéria até as refinarias espanholas. E as linhas elétricas têm milhares de km de comprimento. Todo este longo trajeto não pode ser feito sem grandes perdas de energia.

A solução consiste em produzir a energia o mais próximo possível do ponto em que vamos consumi-la, o que se chama “autoconsumo”, coisa que se forneceu muito nos últimos tempos graças à tecnologia renovável.

Podemos instalar um simples painel para produzir água quente solar, que nos daria uma autossuficiência mais ou menos de 10% em nosso consumo total de energia, ou então um sistema completo solar térmico, fotovoltaico e eólico com apoio geotérmico e de uma caldeira de biomassa, que nos garantirá uma autossuficiência de 100%.

Utilizar a imaginação e o sentido comum

chaves da eficiencia 10

Esta é uma pequena seleção de algumas chaves da eficiência energética. Mas muitas outras poderiam ser exploradas, como a simplificação de processos (máquinas mais simples, com menos peças, como os novos motores de lavadora de conexão direta), ou o desenho de novas formas, tanto de edifícios quanto de peças de motores, que fornecem a coleta ou a dissipação da energia (muito úteis em arquitetura), ou a mais antiga e provavelmente a melhor de todas: a biomimese, ou imitação da natureza. É praticada há milhares de anos: por exemplo, os materiais isolantes imitam a pele peluda ou a refrigeração por evaporação a respiração das plantas.

Mas se deixamos de lado a tecnologia, o sentido comum é, na realidade, a melhor solução para a eficiência energética. Sua falta (por exemplo, quando os fabricantes decidiram deixar de incluir um botão de desligado/ligado nos televisores faz alguns anos) é a maior responsável pelo desperdício de energia.