Pegada ambiental

A medida do impacto ambiental gerado por um produto ou serviço ao longo de seu ciclo de vida é conhecida como Pegada ambiental. Com o fim de reduzir o impacto de nossos produtos e serviços (Pegada ambiental direta) e, levando em conta as atividades de nossa cadeia de fornecimento (Pegada ambiental indireta), na Naturgy calculamos, ano após ano, a Pegada Ambiental de toda a Companhia, através de uma ferramenta de cálculo denominada unidades ambientais (UMAS). Tal ferramenta é baseada na metodologia de análise do ciclo de vida e segue as etapas marcadas nas normas internacionais da série ISO 14040. Esta metodologia quantifica as diferentes subpegadas, como são apegada hídrica, a pegada de mudança climática, a pegada atmosférica, a pegada de ruído, a pegada de resíduos, a pegada de biodiversidade e a pegada de solo.

Seu cálculo começa com a caracterização do aspecto ambiental quantificado de acordo a determinadas categorias de impacto (acidificação, afecção toxicológica ao ar, smog invernal ou fotoquímico, geração de resíduos, aquecimento global, ecotoxicidade aquática, consumo de recursos energéticos, hidráulicos e outros, consumo de energia, eutrofização e afecção à vegetação e à avifauna, entre outros). O aspecto ambiental caracterizado normaliza-se através de sua comparativa com um valor de referência definido, traduzindo-se assim os impactos ambientais a um valor adimensional (UMAS) com independência de sua natureza. Após aplicar-lhe um fator de avaliação para determinar o peso ou importância social que tem cada categoria de impacto em cada momento, obtém-se o impacto gerado por cada categoria de impacto. Uma vez agregadas as categorias de impacto em suas correspondentes sub-pegadas e a soma de todas elas dá como resultado a pegada ambiental da companhia.

O cálculo da pegada ambiental permite analisar o desempenho ambiental da companhia e sua evolução no tempo, para poder planificar as ações necessárias para reduzir o impacto ambiental e melhorar a gestão ambiental da companhia.

A Pegada Ambiental direta total em 2013 foi de 3.620 UMAS, cerca de 21% inferior ao ano 2012, devido fundamentalmente à redução das emissões de SO2 e NOx, por um menor funcionamento das centrais de carvão. Também foi importante a redução de resíduos, por uma melhor gestão dos mesmos. Além disso, a emissão de ruído deixou de ser considerada no cálculo da Pegada Ambiental.

UMAS diretas totais

UMAS diretas totais

UMAS/GWH diretas

UMAS/GWH diretas