Infraestrutura de distribuição de gás natural é inaugurada em Itapetininga

Data
26-02-2015
Categoria
Brasil
Tema

Prefeitura, Gas Natural Fenosa em São Paulo, CIESP e Associação Comercial inauguram tubulação de gás natural, que substituirá o sistema temporário de abastecimento via GNC (gás natural comprimido).

A Prefeitura Municipal de Itapetininga, em uma parceria com a concessionária estadual Gas Natural Fenosa em São Paulo, o CIESP (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) Sorocaba e a Associação Comercial de Itapetininga, inaugura oficialmente nesta segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015, a tubulação de gás natural, que substituirá o sistema temporário de abastecimento via GNC (gás natural comprimido) em operação na cidade.

Desde março de 2013, como forma de antecipação, o gás natural chega às indústrias de Itapetininga via sistema de GNC, em cilindros especiais transportados em carretas, partindo de uma estação de compressão em Cesário Lange (SP). Em dezembro do mesmo ano, a Gas Natural Fenosa concluiu a construção da tubulação definitiva de transporte do gás natural até a cidade, uma extensa rede de 19,5 km, com início na área do Instituto Florestal, na Estrada Maestro Benedito Pompeu de Jesus e término na Avenida Valter F. Fontana, em um investimento de R$ 16,9 milhões. A partir de então, é aguardada a finalização da construção de um city gate pela Petrobras, que é o ponto de entrega do gás natural que vem da Bolívia à Estação de Controle de Pressão Primária (ECP-P Itapetininga) da Gas Natural Fenosa em São Paulo, localizada em frente ao Instituto Florestal, no bairro Barro Branco.

As instalações do city gate foram realizadas pela Transportadora Brasileira do Gás Brasil-Bolívia (TBG), empresa ligada à Petrobras. A unidade tem capacidade para distribuir 990 mil m³/dia de gás natural.

Competitividade,flexibilidade, economia e modernidade

A chegada do gás natural a Itapetininga, uma energia moderna, econômica, segura e ecologicamente correta, agrega valor aos produtos industrializados, gerando maior competitividade às indústrias, traz flexibilidade e modernidade aos comércios, conforto e segurança às residenciais, assim como economia e maior rendimento aos motoristas, por meio do GNV (gás natural veicular).

Isso tudo atrelado ao desenvolvimento econômico de Itapetininga, com a atração de novos investimentos e a geração de empregos. O evento oficial de inauguração da infraestrutura de distribuição de gás natural na cidade contará com a presença de representantes da Secretaria de Energia do Estado de São Paulo, da ARSESP (Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo), do Executivo e do Legislativo Municipal, deputados estaduais, demais autoridades locais e imprensa.

Atualmente, as indústrias 3M do Brasil e Toyoda Gosei já consomem gás natural. Neste momento, a rede de distribuição é expandida para o trecho urbano do município, atendendo, em breve, também comércios e residências, além do Posto Camarão, com GNV. O projeto desse sistema já percorre o Centro de Itapetininga, sempre construído por método não destrutivo (por meio da abertura de valas no passeio, posteriormente recompostas tal como eram antes), de modo a causar o menor impacto no entorno e no dia-a-dia dos munícipes.

A tubulação percorre desde a Vila Camarão, passando pela Vila Barth, subindo o trecho ao lado do Cristo, acessando a Rua Quintino Bocaiúva, com continuação nas Ruas Coronel Pedro Dias Batista, Darci Vieira, Domingos José Vieira e terminando na Rua Dr. Coutinho. Após, outro trecho deverá passar pela Rua Wenceslau Braz e terminará na Estrada Municipal Júlio Vieira, mais conhecida como Estrada para o Mato Seco.

O investimento inicial nessa obra de infraestrutura dentro do perímetro urbano da cidade é de R$1,2 milhão.

Uma empresa do Grupo Gas Natural Fenosa, líder no fornecimento de gás e eletricidade na Europa e na América Latina, a Gas Natural Fenosa em São Paulo já opera por volta de 1,4 mil km de redes de distribuição em toda a região, que fornecem gás natural canalizado para mais de 49 mil pontos de consumo, em 15 cidades ao Sul do Estado de São Paulo, além de Itapetininga. Este total compreende mais de 47 mil clientes residenciais, 1,2 mil comerciais, 192 industriais e 25 postos de GNV.