“Selo Oficina 10” certifica convertedoras para instalação de sistema avançado de GNV

Data
18-07-2014
Categoria
Brasil
Tema

A Gas Natural Fenosa em São Paulo incentiva capacitação de oficinas de Sorocaba e região para obtenção de certificado de qualidade para instalação de kits de 5ª geração.

Com o objetivo de reconhecer e certificar as oficinas convertedoras de Sorocaba e região registradas no Inmetro, de acordo com critérios de segurança para instalações do sistema a GNV (gás natural veicular) com kits avançados, chamados de 5ª geração, a Gas Natural Fenosa lança o projeto “Selo Oficina 10”, desenvolvido em parceria com o CTGÁS (Centro de Tecnologia do Gás Natural e Energias Renováveis).

Programa semelhante já foi implantado por outras distribuidoras de gás natural nos Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. As exigências para participar são: ser uma oficina registrada no Inmetro; trabalhar com kits de 5ª geração (mais modernos que existem) e possuir equipamentos e recursos humanos necessários para manter os padrões de qualidade exigidos, que refletem em segurança, eficiência e qualidade no uso do GNV aos consumidores.

O CTGÁS terá como missão qualificar as convertedoras e, após a conquista da certificação, monitorar que mantenham o mesmo padrão de qualidade estabelecido. Para José Nunes Filho, coordenador de Pesquisa Aplicada e Transferência de Tecnologias do CTGÁS, o projeto demonstra a atenção de toda a cadeia do setor de GNV com qualidade, eficiência e segurança. “O ‘Selo Oficina 10’ surgiu da carência de qualificação das instalações de sistemas a GNV no país. Temos que pensar, sempre, no uso seguro do GNV, oferecendo eficiência para os consumidores desta alternativa tão vantajosa de combustível”, afirmou.

O programa tem periodicidade anual, incluindo seis fases complementares, que têm como meta: avaliação da convertedora, visando ao enquadramento nos requisitos do projeto; treinamento e qualificação dos profissionais; reconhecimento formal da capacidade em atender os requisitos propostos; reconhecimento e visibilidade das oficinas participantes e acompanhamento quanto ao cumprimento das exigências, durante a validade da certificação.

Gustavo Galiazzi, Gerente Técnico da Abegás (Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado), destaca os benefícios trazidos pela certificação à região. “Tenho certeza que as convertedoras irão colher muitos frutos com esse programa, resultando, inclusive, em maior satisfação dos clientes, ao oferecerem equipamentos de qualidade e mão de obra qualificada”, frisou.

Para Maria Cristina Silva, da Delegação de Grandes Clientes e Soluções de Mobilidade da Gas Natural Fenosa Brasil, o “Selo Oficina 10” é uma oportunidade para as oficinas registradas no Inmetro também poderem se capacitar frente aos padrões exigidos pelo CTGÁS. “Acredito que esse certificado será conquistado pelas oficinas que acreditam no GNV e no setor e que, como consequência, buscam a melhoria contínua da qualidade do serviço prestado. Assim, a Gas Natural Fenosa, como distribuidora de gás natural veicular, poderá indicar ao cliente final uma instaladora que tenha plena capacidade de realizar um serviço com qualidade e segurança, utilizando a tecnologia mais moderna existente no mercado”, ressaltou.

Em toda a região atendida pela Gas Natural Fenosa em São Paulo, já são 25 postos distribuidores de GNV e oito oficinas convertedoras registradas no Inmetro. Apenas na cidade de Sorocaba, são 11 postos de GNV e cinco converteadoras registradas no Inmetro.